Novas técnicas para o cultivo da mandioca

Produtores conhecem novas técnicas para o cultivo da mandioca


Um grupo formado por 29 agricultores e 10 estudantes do Colégio Estadual Getulio Vargas, membros do programa Jovem Agricultor Aprendiz, todos de Iracema do Oeste, participaram no dia 11 de julho de 2012 do IX Dia de Campo da Cultura da Mandioca, realizado no distrito de Porto Mendes, município de Marechal Candido Rondon.

 

O Dia de Campo, promovido anualmente pela Associação das Indústrias de mandioca do Paraná (ATIMOP) em parceria com o Instituto Agronômico do Paraná – IAPAR e a Unioeste, objetiva apresentar aos participantes resultados de experimentos, novas cultivares, bem como, os avanços tecnológicos na cultura da mandioca.

No município de Iracema do Oeste, vem crescendo a área plantada com a cultura da mandioca, principalmente entre os agricultores familiares, em razão da maior estabilidade de receita e taxa de retorno ao pequeno produtor, em relação ao que oferecem as outras culturas tradicionais. Por esta razão, o técnico responsável pela Unidade local do Instituto EMATER de Iracema do Oeste, organizou os produtores para a participação no evento. Para Claudemir Luis Todescatt, da unidade municipal do Instituto EMATER, o Dia de Campo é uma oportunidade para a aproximação entre a pesquisa e o agricultor, onde o produtor passa a conhecer novas tecnologias, equipamentos e cultivares, que melhorem a renda com a atividade, além de repassar aos pesquisadores as suas necessidades.
portomendes

O presidente dos Sindicatos dos Trabalhadores de Rurais de Iracema do Oeste, entidade parceira na realização da excursão, Sr. Bráz de Faveri, que também participou da excursão, destacou a importância da cultura para a agricultura familiar, pois representa uma importante alternativa de diversificação, já que no cultivo da mandioca a maior parte dos recursos são gastos com serviços (mão de obra) e estes estão disponíveis na propriedade, além do menor gasto com insumos, oferece a possibilidade de aumento na geração de renda.

O grupo de Iracema do Oeste teve a oportunidade de interagir durante as palestras, as quais foram apresentadas de forma objetiva pelos pesquisadores de Universidade, Iapar, Embrapa, UFPR, IAC, os quais abordaram temas relevantes a condução da cultura da mandioca. Para o Técnico da EMATER, entre as propostas de manejo propostas, a que chamou mais atenção foi o estimulo a adoção do cultivo mínimo como sistema de plantio, feito com utilização de escarificador e também a experiência do plantio direto na palha, já que no sistema de convencional hoje adotado as áreas cultivadas tornam-se vulneráveis ao processo erosivo. Outro ponto fundamental abordado foi o estimulo ao controle biológico de pragas, principalmente da lagarta mandarová, onde através de monitoramento da lavoura, e o uso de de inseticidas biológicos há forte redução do impacto sobre os inimigos naturais e ao meio ambiente, além de minimizar os riscos a saúde do aplicador.

O meio rural também passa a sofrer com a escassez da mão de obra e foi possível observar no Dia de Campo, na parte de dinâmica de máquinas, a evolução do setor voltado para este segmento, objetivando reduzir a necessidade da mão de obra, bem como, facilitar as operações, principalmente a colheita.

No retorno a Iracema do Oeste, o grupo fez uma avaliação do evento, oportunidade em que o Técnico do Instituto EMATER Claudemir Todescatt, agradeceu a participação de todos e ressaltou a importância do apoio recebido da prefeitura Municipal de Iracema do Oeste, a qual através da disponibilização do ônibus para o transporte, contribuiu para a ampliação do conhecimento dos agricultores.

Redação/revisão: Adalberto Telesca Barbosa – EMATER U. R. Toledo